Enfeitada de Sonhos

De um sonhador, para outro! Um momento com o rapper Emicida

22 de setembro de 2017 0 Comments

Era o último dia do ONDM (O Negócio Da Moda), confesso que tudo parecia diferente. Desta vez não aguardávamos apenas grandes nomes da indústria, como editores de revistas, diretores, donos de marcas renomadas ou de grandes agências, esperávamos simplesmente o Emicida. Falo sim-ples-men-te porque ele se coloca nessa posição! É aquele cara que vai chegar na sua frente com toda humildade e não vai te ensinar a guiar os problemas que encontraremos pelo caminho da moda ou da musica, mas vai te mostrar que não vale a pena desistir dos teus sonhos e que com perseverança você poderá sim alcança-los! “Somos feitos da mesma coisa que são feitos os nossos sonhos” diz ele.

O Emicida é anunciado, porém não sobe ao palco. No telão se inicia a historia da “LAB”, o silêncio percorre o salão e nada mais se escuta, toda atenção é voltada para o palco e o telão que transmite a historia. “O Laboratório Fantasma começou como gravadora, a LAB surgiu para ajudar a impulsionar sua musica e expandir. Em 2016 a marca dava um novo passo rumo à influenciadora de tendências participando do SPFW (…)”. Até que ele entra.

Através de uma evidente presença de palco, começa a falar sobre sua historia e a da marca ”Sempre estivemos concentrado em uma coisa, contar uma história verdadeira que tivesse conectado em como víamos o mundo.” Conta. A LAB surgiu com a ideia de impulsionar sua carreira, “Precisávamos refletir sobre outras maneiras de se reconectar com o público além do disco.” explica ele.

Fotografia retirada pelos acadêmicos de fotografia da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí).

Bom, se os Beatles, Iron Maiden, entre outras bandas tinham sua própria linha de camisetas e as pessoas usavam, porque ele não teria? Aliás, precisava de dinheiro para poder gravar seu disco e essa foi à opção que veio em sua mente. “A primeira camiseta que a gente fez, foi com o rapper Rashid. Ali a gente conheceu o mercado e sentiu o nosso ‘approuch’ para vender as artes.”, libera um riso ao lembrar do passado e continua “Sabe quantas camisetas a gente vendeu de primeira? NENHUMA!”.

Como um bom sonhador, ele não desistiu e foi buscar outra forma para vender suas camisetas, assim se uniu com outros rappers nacionais. “A gente queria se vestir igual, que nem uma Crew de beat boy. (risos) Fazia camisa, moletom e ia!”. A ideia era chamar atenção até que as peças começassem a ser solicitadas pelo público e deu certo, viu? Acabaram reproduzindo 100 modelos para vender.

Mas como funcionaria a venda? Bom, vou deixar ele te contar essa… “Você vai estar tomando teu banho na sua casa e vai ter uma ideia foda, agora se você não tiver condições no dia seguinte, sua ideia não vai ser nada! Quando a gente acabou de fazer as  camisetas, meus camaradas… Achamos que ela ia vender sozinha! Ficamos esperando… Conclusão, botei as camisetas na mochila e sai por aí, nas portas de baladas, shows.. Assim vendemos!! As pessoas quando entrarem na LAB precisam olhar e sentir que a marca é um espelho de sonho, luta e de conquista! Independente da sua raça, cor ou sexualidade. A LAB é para todos!” conta Emicida.

Fotografia retirada pelos acadêmicos de fotografia da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí) e editada por mim.

Eu acredito que a sorte é criada por nós, o primeiro disco do rapper, foi vendido pelas suas próprias mãos. As mesmas mãos que arrecadaram o dinheiro para produzi-lo, que gravaram e que os colocaram em um envelope de carta com uma mensagem sua escrita. “A gente sonha, mas quando a gente acorda, a gente tá lá, 07:00 da manhã trabalhando que nem um louco. Temos que acreditar que estamos com uma parada foda nas mãos!” destaca.

Muito mais do que apenas uma peça de roupa da LAB, as pessoas que a consomem procuram vestir sua essência, “Elas compram independência, amor, resistência, luta, autonomia! Querem mostrar para o mundo que estão usando LAB. Querem dizer: mano, eu acredito nessa história, eu acredito que pode ser diferente!” conta.

O mundo hoje está tão saturado que passamos a querer consumir produtos que carreguem em si muito mais do que apenas um design bonito, a moda esta cansando de produzir “lixo”, de apenas poluir. Uma marca construída através da verdade, que reflita bem os verdadeiros anseios do seu consumidor, se tornou uma necessidade do mercado. Não é a toa que a LAB desde que iniciou na SPFW, tem sido um dos maiores alvos de criticas positivas, um dos desfiles mais elogiados… Realmente é um show de moda! Para tudo isso acontecer, teve estudo e muita dedicação. Nosso rapper indicou um livro e eu repasso para vocês: Moda É F#%@ de Paulo Martinez, boa leitura!

Começamos o texto enaltecendo seu desejo por se conectar com o seu publico não somente através da musica, terminamos demonstrado que não é a apenas a musica, ou a moda que o conecta a gente! O Emicida é um sonhador como todos nós e mais do que isso, ele sabe valorizar e enxergar que o apoiamos para que ele chegasse aonde está! Como um bom coração jovem, ele repassa as dificuldades e seu aprendizado na busca de um sonho. Quem melhor para te ensinar a viver um sonho do que outro sonhador?

Fotografia retirada pelos acadêmicos de fotografia da UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí).

Eeeeita, mas é muito amor envolvido, vai dizer!?
Conhcê-lo foi incrivel, espero ter conseguido passar
tudo que ele me transmitiu para vocês! Me conta aqui
o que você achou!! Haha
Beijinhos com todo amor, da Ká Morillo 

 

COMENTE AQUI ❤

POSTAGENS RELACIONADOS